Festa Junina

Festa Junina: Aula de Caipirês

chico_bentoA Festa Junina é uma festa tipicamente caipira. Isso quer dizer que ela é típica da roça e dos vilarejos do interior do Brasil. Assim, para o seu Arraiá ficar completo, além da roupa xadrez e do chapéu de palha, todo mundo deve entrar também no clima falando o caipirês, ou seja, o sotaque caipira.

A gente descobriu que para quem não tem prática, falar este verdadeiro dialeto da língua portuguesa é bem difícil. Por isso, consultamos o caipira mais famoso do Brasil, o Chico Bento, e preparamos esta aula com 10 lições básicas, prá ocê aprendê e não fazer feio na Festa.

Acompanhe:

#1: Fale sempre o “R” com a língua dobrada e arrastando a letra. Exemplos: Porrta, Carrta, Farrtura.

#2: Troque sempre o “L” nas palavras pelo “R” com língua dobrada. Exemplos: Farta (Falta), Farso (Falso), Praca (Placa).

#3: Coma também o “R” e o “L” no final das palavras. Exemplos: Casá (Casar), Aprendê (Aprender), Arraiá (Arraial), Frô (Flor).

#4: No caipirês não existe “LH”. Então, fale sempre: Mió (Melhor), Muié (Mulher), Mío (Milho).

#5: Troque a vogal “O” pela vogal “U” nas palavras e a vogal “E” pela vogal “I”. Exemplos: Cumpadi (Compadre), Vistidu (Vestido), Dimais (Demais).

#6: Coma sempre o “S” no plural das palavras, exceto nos artigos. Assim, o plural de “A Casa Grande” é “As Casa Grande“.

#7: Conjugue o verbo sempre no singular. Exemplos: Nóis Dança (Nós Dançamos), Nóis Andemo (Nós Andamos).

#8: Na falta de vocabulário específico use TREM, que serve pra tudo, exceto como meio de transporte.

#9: Use sempre dois advérbios pra deixar claro que você não sabe do que estão falando. Exemplo: Num sei não (Não sei não).

#10: E no final de uma frase use sempre “Sô”.

Aprendeu esse trem sô?


Leia Também:

(Lido 16.281 vezes, 10 visitas hoje)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *